APRESENTAÇÃO

 

Há 10 anos, era realizada a 1ª edição da Semana de Letras na Ufal, organizada pelo Programa de Educação Tutorial (PET) do curso de Letras em parceria com a direção da Faculdade de Letras, a coordenação da graduação e, desde 2012, o núcleo de estudos indigenistas (NEI). O evento anual, que já pôs em discussão diversos temas relacionados às Letras – tais como a integração social que a língua promove; o intercâmbio cultural das manifestações linguísticas e literárias e o fenômeno da hibridez da linguagem, que tratou também dos 90 anos da Semana de Arte Moderna, comemorou tanto os 50 anos da Ufal quanto os 60 anos da Faculdade de Letras e homenageou grandes nomes como Edgar Allan Poe, Teresa de Ávila, William Shakespeare e Miguel de Cervantes –, nesta edição, comemora seus 10 anos e traz como tema “Linguagem e(m) diálogos”.

Tal como a comemoração de uma década do evento, a X Semana de Letras homenageia artistas e obras que revolucionaram o mundo da arte e dos estudos linguísticos. Neste ano, o evento comemora o aniversário de grandes obras da literatura e da linguística, como os 50 anos de “Cem anos de solidão”, de Gabriel García Márquez, e de “Morte e Vida Severina”, de João Cabral de Melo Neto, e os 40 anos de “A hora da estrela”, de Clarice Lispector, assim como os 100 anos do “Livro do desassossego”, de Fernando Pessoa, e os 60 anos do livro “Estruturas Sintáticas”, de Noam Chomsky. Celebramos também o centenário da obra “A fonte”, de Marcel Duchamp, e do nascimento de Frida Kahlo. Além desses, homenageamos os autores Jane Austen e Guimarães Rosa, que, em 2017, completam 200 e 50 anos de morte, respectivamente.

Como um movimento circular, os dez anos da Semana de Letras é referenciado através do moinho de vento: as hélices, em movimentos repetitórios, voltam a pontos que, todavia, já passaram. Da mesma forma, a X edição da Semana pretende retornar a discussões importantes em sua história como evento promovido pelo PET na Faculdade de Letras – simbolizada, então, na Flor de Lis, cujo estranhamento reverte o caminho automatizado de compreensão e identificação de imagens. Dessa maneira, a décima edição da Semana tenta promover uma “desautomatização” da ideia de Linguagem colocando-a como principal questão a ser discutida, debatida e refletida no decorrer do evento.

Buscando estimular a produção artística dos alunos da graduação e de áreas afins, surgiu, na Semana de Letras, em 2013, a Expoletras. Criando um espaço de divulgação dessa produção, além da possibilidade da troca de experiências com outros autores e artistas, a Expoletras traz, este ano, em sua V edição, uma intersecção – um diálogo – entre algumas das obras homenageadas.

 

A Semana de Letras é um evento de periodicidade anual que recebe um público de, em média, 300 participantes, e tem o objetivo de, por meio das discussões dos temas propostos, integrar ainda mais a comunidade acadêmica de Letras de diversas unidades acadêmicas. Este ano, o evento abriga a VII Jornada de Estudos Indigenistas e contará com conferências, minicursos, mesas redondas, oficinas, comunicações orais de alunos, CinePET, CINEI, e apresentações culturais, além da V Expoletras e do V concurso de contos Arriete Vilela. Assim, convidamos todos a participarem da nossa 10ª edição da Semana de Letras da Ufal.