9ª SEMANA DE LETRAS

REAL FICÇÃO: PASSOS E DESCOMPASSOS NO CAMPO DO SIGNO

Apresentação

Apresentação

Programação

Programação

Organização

Organização

Expoletras

Expoletras

Concurso de contos

Concurso de contos

Livro de resumos

Livro de resumos

Anais

Anais

Galeria

Galeria

APRESENTAÇÃO

 

Em 2016, o PET Letras Ufal, em parceria com o Núcleo de Estudos Indigenistas – NEI, a Direção da Fale e a Coordenação de Graduação, traz para a 9ª Semana de Letras o tema Real Ficção: passos e descompassos no campo do signo.

A proposta temática surgiu em decorrência da comemoração do centenário da publicação do Curso de Linguística Geral (CLG), um clássico da linguística moderna, cuja autoria é atribuída a Ferdinand de Saussure, não sem polêmica em torno da noção de autor! Passando pela leitura estruturalista do Círculo Linguístico de Praga, o então chamado estruturalismo linguístico cruza continentes, chega à França e, nos anos 50 e 60, como nos diz Doss (2007), se identificou com toda a história intelectual francesa a partir de 1945. A ordem própria da língua, conforme se lê em Saussure, desafia a noção cartesiana de sujeito. Lévi-Strauss, Lacan, Foucault, Barthes, Derrida, Pêcheux, Benveniste, Jakobson são, dentre tantos outros, leitores do Saussure do CLG e, por isso mesmo, atores de peso nos passos e descompassos do campo do signo, que tanto influenciaram as discussões em torno da língua e de sua relação com o sujeito, a história, a referência, o sentido. A Linguística, a Semiótica, a Literatura, a Psicanálise, a Antropologia e todas as ciências que lidam com a linguagem não podem ignorar o CLG. Como um clássico, conforme ensina Calvino (1988), esse livro “nunca terminou de dizer aquilo que tinha a dizer”.

Neste ano, ocorre também a celebração dos 500 anos da primeira publicação do livro Utopia, do escritor inglês Thomas Morus, obra precursora dos estudos críticos da utopia, e a partir da qual temos o prazer de incorporar à nossa programação o III Colóquio Literatura e Utopia: Morus 500 Anos.

Mas há ainda muito mais a celebrar! 400 anos da morte de William Shakespeare e Miguel de Cervantes, dois grandes nomes da literatura universal; 160 anos do nascimento de Sigmund Freud; 100 anos de Cleonice Berardinelli e, por que não, os 50 anos de carreira de Maria Bethânia!

O evento conta com um público de, em média, 300 participantes que, a cada ano, tem se diversificado com a presença de discentes e docentes de outras instituições de ensino de Alagoas e de outros estados, sobretudo do Nordeste. Como nos anos anteriores, haverá conferências, minicursos, mesas-redondas, oficinas, comunicações orais, CinePET, CiNEI, Expoletras, apresentações culturais e o IV Concurso de Contos Arriete Vilela.